Diário de Grávida – Capitulo 6

Medos e indecisões, essas são duas coisas que me acompanham nessa fase, mas acho que é normal, aliás, com todas as mães que tenho conversado foi assim ou parecido.

Mas também né gente, na vida, quem não teve medo ou ficou indeciso com algo, acho que todo mundo teve, tem ou vai ter seu momento, não importa o fator que o proporcione tais sentimentos.
Obviamente que eu por estar atravessando esse caminho de não grávida para grávida e logo adiante mãe é meio que uma situação mais intensa, tudo é novo, tudo é bem instável, seu corpo, sua mente, seu espirito, parece que cada um vai para uma direção diferente rs, as vezes dá vontade de apertar o pause para organizar a situação, mas como isso não é possível a gente vive, ou convive esperando e trabalhando para que o melhor lá na frente possa acontecer.


Agora focando nessa fase da gestação e exatamente nesses meus medinhos e indecisões, quero compartilhar aqui com as mamães ou futuras mamães o que passou e anda passando pela minha cabeça.

Lúpus – eu sou diagnosticada com essa doença que por sua vez não tem cura, mas que se o paciente tem acompanhamento regular e segue as orientações médicas à risca, não precisa se preocupar. As medidas paliativas no meu caso se resumem a uma formulação em comprimidos que tomo diariamente e me mantem estável, mantenho consultas regulares e exames semestrais, agora grávida tenho consultas mensais e exames mais frequentes, também suspendi a ingestão do medicamento que por sua vez é contraindicado na gestação, mas estou bem.

Num primeiro instante, antes de engravidar, mas no período de preparação eu conversei com a minha médica (Reumatologista Drª Berenice Canova) sobre a questão do “engravidar”, a partir de informações da internet e de depoimentos reais de conhecidos que tem ou conhecem alguém no mesmo/ parecido quadro clinico que o meu, engravidar poderia ser difícil, talvez até impossível. Não me desesperei, meus exames e diagnósticos pareciam tão positivos e foi assim mesmo, em conversa com a doutora perguntei se havia algum exame que poderia dizer se meu lúpus me impedia de engravidar, segundo ela não era bem assim, meu corpo reagia bem a medicação, apesar de ainda não ser capaz de não conseguir suspende-la, mas que eu deveria tentar, só assim saberíamos se daria ou não certo e passaríamos para outra etapa.

Segui com o plano, consultei meus médicos de rotina, fiz exames, mudei meu plano de saúde e parei de tomar o contraceptivo de cada dia. Achei que ia ser bem rápido, estava tão animada com a ideia de engravidar que pensei, vai ser muito tranquilo, certeza que engravido imediatamente.

Não foi bem assim, a gente sabe que tem que desencanar das coisas que queremos, deixar a ansiedade de lado, viver um dia de cada vez, mas não é bem assim que as coisas acontecem, infelizmente a nossa mente pode nos trair e aquela ansiedade que na nossa cabeça é uma ciosa leve e sem malicia, pode ser o maior problemão no sentido de atingir o objetivo final.

No meu caso, eu estava a todo vapor, minha sobrinha acabará de nascer, nossa chega brilhava os olhos ao olhar pra ela, toda aquela realidade que minha irmã estava vivendo, era eu idealizando aquilo para mim em poucos segundos. Meu esposo também estava bastante animado, ele sempre quis muito ser pai, o nascimento da Alice meio que multiplicou nossas emoções positivas para isso e foi o que desandou tudo, pelo menos eu acho.

Todo mês uma expectativa enorme, mas a sinalização mensal não parava de vir, menstruava e virava a página, querendo ser positiva, mas comecei a temer ao longo dos meses. Será que eu não poderia engravidar?

Foram 7 meses certeiros de tentativas, nas ultimas já nem pensava mais na possibilidade de estar grávida pois foram tantas frustradas, sinceramente, já estava querendo procurar um médico, mas eu sabia que para ir a um especialista teria que ter tentado pelo menos 1 ano inteirinho.

Lembro-me que no começo de 2017 eu meio que me frustrei com um outro assunto, fatores profissionais, isso meio que me fez desencanar do assunto gravidez e me deixou fixada nesse fato, foi bem antes das férias, então passei o carnaval bem P*** da vida e voltando do feriado colocaria em pratica outros projetos.

Em fevereiro eu me esqueci de monitorar a menstruação, senti uma ponta de esperança com o assunto gravidez e fiz um teste de farmácia, mas ... não foi dessa vez.

Segui o roteiro normalmente, me preparei para as férias e nem pensei em gravidez ou problemas no trabalho, de malas prontas partimos para Buenos Aires, conhecer a tão falada Argentina, gente sinceramente não curti muito, esperava mais desse país vizinho, mas não vou dar detalhes agora. Lá eu senti falta da água, a de lá parecia salgada, os dias seguiram assim, com sede e tomando Gatorade até dizer chega, me sentia desidratada, fraca, cansada, mas tudo que tinha pra fazer a gente fez, não ficou faltando nada.

Voltando da viagem eu não me senti bem, pensei em tomar o chá mais milagroso e perigoso de todos, chá de boldo, mas um alerta na cabeça: e se eu estiver grávida, boldo vai fazer mal.

Decidi então fazer um teste de farmácia, sem muita expectativa, só pra fazer mesmo, parece que eu sabia que ia ser negativo, afinal, em meados de fevereiro eu já tinha feito e deu negativo, então...
Voilà, não é que deu positivo!!! Santo Deus, acho que estou grávida; pensei eu.

Não me conformei com o teste de farmácia e fui ao hospital, com todos os sintomas possíveis, conversei com a plantonista que me parabenizou, confirmou de olho o exame de farmácia e pediu um de sangue, eu ainda descrente, fiz o tal exame, com resultado em mãos ainda fiquei vacilante, agora queria ouvir o coração do bebê para ter certeza mesmooooo que estava acontecendo.rs

Tão vendo, medos e receios de uma mãe de primeira viagem, hoje dou risada com tudo isso, mas conversando com a minha própria mãe que gargalhou com as minhas histórias e balançou a cabeça afirmando meus medos e até compartilhou suas experiências comigo, me deixando mais calma, só um pouco mais calma, pois cada dia aparece um fato novo pra eu ter medo e indecisão, mas eu acho que estou caminhando bem, tenho conversado com amigas, mantido bom relacionamento com a Obstetra e por aí vai.

Tem dias que gargalho com minhas dúvidas, tem dia que fico meio apreensiva, mas cada dia é um dia e com certeza para tudo tem uma resposta, basta encarar firme e forte até que tudo se ajeite como planejado.

A certeza maior que tenho é que Deus está olhando aqui pra baixo e agindo para que tudo corra bem comigo, com a Aria, com o papai dela, com a nossa família, com a sua, com a da nossa amiga, com todo mundo, ele tem um plano perfeito para todos nós, basta enxergarmos o caminho, seguirmos e não duvidar nunca.

É isso, pensei que poderia fazer uma listinha de medos e indecisões nesse post, mas não deu, rs ficou longo demais, vamos seguindo e vou compartilhando tudo pouco a pouco.

BjooOOO

Uma gestante e seus looks

Eu pouco me aventuro em elaborar looks, logo no início da gestação eu me desesperei um pouco, passava tão mal (já contei aqui) que nem pensava em me arrumar, só usava o básico mesmo, embora eu tivesse sem forças nenhuma e nem imaginação para elaborar algo mais bacana ficava me martirizando do porque eu não me arrumava e tals.

Antes de engravidar eu via minhas blogueiras amadas como por exemplo Nati Vozza, Lú Ferreira e Lia Camargo todas gestantes e lindas, pensava comigo: quando eu engravidar vou ser assim, grávida e cheia de estilo.


Obviamente o estilo não morreu, mas como meu início foi meio turbulento eu vivia um dia de cada vez usando o básico, calça jeans, camisas, blazers e por aí vai, o uniforme executivo nosso de cada dia.

No escritório dava até para enganar, mas quando a barriga não coube mais nas calças, as blusas começaram a encurtar eu tive que dar meus pulos.

 As semanas foram passando e eu fui me adaptando, meu primeiro look legalzinho de gestante que mostrava barriguinha e tudo foi o do meu chá, mostrei aqui pra vocês, a barriguinha ficou saliente e eu me animei um pouco.


Fotografei uma coisinha ou outra do dia a dia para relacionar aqui na lista, vamos lá, quando as calças já não fechavam mais e após testar aquele extensor com elástico e não ter me dado bem com ele decidi abandonar, percebi então o motivo de as grávidas usarem tantas leggings.

Lógico que eu sei que a legging é uma peça básica que muita gente usa no dia a dia, mas eu meio que me vejo de legging só na academia ou em casa num dia qualquer. Pois então, na fase de barrigudinha eu tive que me aliar a calça legging e montei esse look ai de baixo que é basicamente uma blusa listrada básica, legging pretinha de cada dia, tênis nude que amo e minha bomber jaquet pra dar um toque blogueirinha, não liguem para a cara de fuinha.


Eu não investi em roupas ultimamente, tenho blazers, casacos e jaquetas que me acompanham desde antes da gestação, por sorte me servem e estão sendo usados. Uma das peças que eu sentia falta era a calça flare, boca de sino mais amada da geração fashionista, as minhas não me servem mais, então tive que conseguir umas novas, fui ao Bom Retiro e comprei no camelô, sim eu disse CAMELÔ, umas calças daquele tecido meio canelado e camurçado, o tamanho G pois eram cintura alta e super me atenderam, consegui montar esse look aí em baixo, tenho outras, ainda não fotografei com elas, mas em breve mostro aqui.


Como eu disse, não investi muito em roupas de gestante, mas com o frio que está foi impossível sobreviver com os vestidinhos que tenho em closet, então além das leggings e flares que consegui por uma pechincha no Bom Retiro eu também garanti aquela calça jeans de gestante com aquele extensor no cós da calça que cobre basicamente a barriga toda, superinvestimento, amei a minha calça, uso sem dó nem piedade, paguei R$ 39,90 numa lojinha de jeans lá no Bom Retiro, não me lembro o nome, mas é bem na Rua José Paulino mesmo sabe, tem umas lojinhas de jeans, se estiver a fim entra numa e comenta com a atendente, ela vai saber do que está falando.

Preocupada com tanta legging a solta lá em casa e vestidos mais justos que o normal, eu me inspirei na Lia Camargo e decidi procurar coletes mais compridos e exercitar a sobreposição em looks do dia a dia. Esse colete é de camelô também, paguei R$ 30,00 lá no Bom Retiro, não encontrava em nenhuma fast fashion nos shoppings, me virei e achei esse.


Quando se fala em gestante pensamos logo em vestidinhos e macacões cheios de charme, mas o que nunca nos disseram é que roupa de gestante é cara e muito difícil de achar. Eu estava louca por um macacão jeans básico, parecido com um macacão normal, mas com espaço da barriga, de fato não encontrei o que eu queria, sinceramente, não entrei em nenhuma loja de gestante, mesmo no Bom Retiro as lojas de gestante têm uma vitrine tão sem graça que só por Deus, não dava nem vontade de entrar. Felizmente uma fada amiga querida comentou que tinha um macacão da última gestação dela que estava super bem conservado e me emprestou pra eu usar e abusar, haaaaaa e eu nem gostei né. Gostei tanto que não quero usar outra roupa hauhauhauhau.


Dia desses fuçando meu guarda roupa encontrei esse vestidinho listrado que comprei numa lojinha nem me lembro mais, levei na viagem de férias e acabei não usando, obviamente que ficou uma graça com jaqueta e tênis e é claro a barriga acoplada. Gente a grávida de Taubaté que se segure, a pessoa com 5 para 6 meses já está desse tamanho, alô Edu Guedes, tamu junto.


Bem resumido esse post né, só que não, desculpa a extensão do negócio, mas eu não vou dar tchau agora não, preciso dar umas dicas aqui.

Primeiro, não saia por aí comprando tudo que vê pela frente, use suas coisas o máximo que der, uma das minhas preocupações era qual tamanho de roupa comprar pra aproveitar com a barrigona, então naõ comprei nada enquanto a barriga não aprecia, assim que a barriga tomou forma não teve como não sair pra comprar coisas, comprei leggings e calças com elástico, vestidos não foi necessário pois eu já tinha muitos de malha que esticam conforme a barriga cresce, sapatos também foram uma preocupação, comprei um sapato social para o trabalho com salto quadrado e de cor nude, os tênis que já tinha faço bom proveito nos looks casuais, quando posso, ou seja, quando não estou muito cansada, arrisco um salto para ir a igreja no domingo, e as sapatilhas do armário também são ótimas.

Bom é isso, espero ter atualizado vocês e as dicas que te agradaram espero que faça bom proveito.


BjooOOO

Home sweet home

Eu já tinha comentado aqui gostaria muito de mudar de apartamento, tanto faz se seria para uma casa ou novo apartamento, mas tinha que ser algo nosso (meu e do fofis).

Assim que casamos em 2015 eu fui morar com ele num apartamento que ele já morava a dois anos e era um apê bacaninha, alugado, mas inteiram, tinha moveis, a gente nem precisou desembolsar muito após o casório, só gastamos com eletrônicos e acessórios para sala e tals, mas o tempo passa e a gente começa a querer mudar coisas, mas inquilino que é inquilino tranquilo sabe que mudanças na casa dos outros podem não ser muito bem-vindas, então a gente vivia como dava.

Então um belo dia tenho uma crise decorista e começo a pensar no que podia e não podia fazer para dar um UP no apartamentinho, mas infelizmente fui vencida pelo sentimento que prevalecia em mim: amor, esse apartamento não é seu, então, deixa quieto.

Chato, muito chato, mas era verdade, gastar dinheiro e tempo nesse apartamento não fazia o menor sentido pra mim, mas calma, você aí que está lendo e pensando que meu ape era um cafofo, não era bem isso, eu arrumava bem ele, dei meu toque, mas tem coisas que não valem a pena mudar, então eu ficava desiludida com a decoração que tanto sonhava e não podia transformar.

Por fim no começo de 2017 meu digníssimo esposo começou a procurar imóveis com a nossa cara (e que coubessem no nosso bolso) para quem sabe uma possível aquisição, mudança e pahhhhhhh vida nova.

Lógico que não foi do dia para a noite, muita busca, pesquisa, visitas, negociações e por fim decisão, sim, era aquele, nosso primeiro apartamento só nosso, a gente podia fazer o que bem entendesse, o que desse na telha, o que quiséssemos, era nosso.

 O sonho da casa própria é uma coisa afeta muita a gente, o fato de saber que está adquirindo algo tão importante na nossa vida é extremamente empolgante e ao mesmo tempo assustador, a parte econômica é claro é a mais assustadora; será que fecho negócio? Vou conseguir pagar? É a melhor escolha?

Muitas questões envolvem a decisão por comprar o primeiro ou qualquer que seja o imóvel, claro que falo isso com base na situação financeira da minha família, afinal tem gente que não precisa se preocupar muito com isso, é toma lá, dá cá, mas pra mim é bater na porta do baco e tentar financiamento, então as questões que mencionei acima sempre estiveram presentes.

Agora parando com a choradeira, além de abalar a vida financeira o sonho da casa própria meche lá no coração, você fica sem folego, sem chão, gente é sua casinha, nova em folha, você vai decorar ela do seu jeitinho, vai pôr moveis novinhos, vai colocar aquele piso do seu gosto, você vai fazer o que você quiser com ela, ela é sua. Pensa na emoção!!!

Eu e fofão quase não dormíamos enquanto aguardávamos o andamento dos processos e no dia que batemos o martelo a gente também não dormiu de tanta emoção, nossa, que sentimento bacana, felicidade que não cabe no peito, a gente tinha nosso próprio cantinho agora e do jeitinho que queríamos.


Mudamos enfim para nosso novo apartamento, esse é um dos motivos do meu sumiço aqui no blog, não tínhamos internet no começo,  essas empresas de telefonia são as piores que qualquer país poderia ter e essa semana foi necessário mudar contrato, então já viu né, estresse básico pra não perder o costume.

Fora isso estamos tentando pôr as coisas no lugar, falta muito para deixar a casa zeradinha, mas a gente tem tempo, vou mostrar um resuminho aqui dos ambientes, mas em breve eu posto cada detalhe pra inspirar vocês e é claro dividir esse sonho.


Espero de coração que tenham entendido um pouco do motivo do meu sumiço aqui e me perdoem, vamos continuar juntinhos aqui compartilhando sonhos e muito mais.

OBS: este post está atrasado, era para ter postado bem antes, mas a gravidez a mudança, tudo junto, estava meio bagunçado, mas estou tentando manter o blog atualizado.


BjooOOOO

Desejos da semana – 38

Lista de desejos, porque estando grávida essa é uma rotina diária rsrsrsrs, brincadeiras a parte, hoje teremos listinha, então vem ver o que eu tô querendo.


Quadros Novos – muito bem, consegui a minha sala de jantar tão esperada, feliz da vida ainda falta dar vida às paredes lá de casa, então pensei em fazer um combinado de quadros em preto e branco numa das paredes que fica perto da mesa, a outra seria para um espelho gigante que por enquanto não vai rolar, mas a parede de quadros certamente vai dar um toque especial.


Papel Parede – já disse que estou fugindo do rosa total no quarto da bebê, então estou em busca de um papel de parede bem bacana pra aplicar numa das paredes do quarto, a fixação por figuras geométricas, mais especificamente em triângulos, está quase decidido, mas são tantas opções que aparecem.


Capas de almofadas – agora que o apartamento está tomando forma acho que minhas almofadas coloridinhas não estão muito com cara de casa de adulto, então bora mudar, buscando cores e tons que façam uma combinação perfeita.


Bolo para o chá – salão reservado, data marcada, em setembro meu chá de bebê vai acontecer, a gente sabe que o tema é flamingo, mas e o bolo, como vai ser?


Costurar – se pensam que deixei meus dotes costuristicos morrer estão enganados, eu não estou totalmente na ativa, mas tenho feito umas reformas em casa mesmo. Comprei uns tecidos para fazer umas coisinhas para Aria e depois mostro aqui, hummmm vamos ver se manjo mesmo uma costurinha básica.


Convites – estou meio monotemática hoje, pensando no chá de bebê, mas enfim, desejo é desejo. Que tipo de convite enviar? Via internet ou no velho e bom papel, aquele conato físico que todo mundo gosta? Não sei ainda.


Caminhada – cinco meses de gestação, já fora do peso e necessitando fazer aquela caminhada que eu e você sabemos que para uma grávida preguiçosa é quase impossível. Desde a última consulta só adiando a tal da caminhada, meu Deus me de força (coragem).


Colar âmbar – não sou nenhuma especialista em bebês, mas lendo experiências de outras mães e dicas daqui e dali cheguei à conclusão que o que funciona para uma talvez não funcione para outra e vice-versa, mas ainda assim é importante respeitar as opiniões e escolhas que uma mãe faz para o seu filho. Filosofei só pra falar que estou tentada a comprar uma pulseira âmbar para minha bebê, pois se não fizer bem, mal também não faz.


Feira do bebê – já comentei aqui sobre o meu desejo de sair logo pra comprar as coisas da biluzinha (aff já tem apelido rs), pois é, estou tentada a visitar uma feira de coisas de bebês, vou ver uma desses anúncios mil do facebook e depois conto aqui.


Comer panqueca – nunca soube bem definir um desejo de gestante, só sendo uma gestante mesmo para entender, ao longo desses 5 meses gestacionais tive muito desejo, coisa leve, nada muito feroz, mas é engraçado, aquilo fica na sua mente e não sai até você fazer ou comer no caso, se eu não comer essa panqueca essa semana, gente do céu, eu piro (rsrsrsrsrs).

Pronto, tá aí, listinha de desejos atualizada, agora só falta ir ajustando tudo pra realizar aos poucos.
Curtiu minha lista? Tem alguma dica pra dar? Manda aí...

BjooOOO

Diário de Grávida: capitulo 5

Olá minha gente, como estão? Espero que bem. Provavelmente estão querendo saber de mim também e da Aria claro, então vai aí um resuminho dos últimos acontecimentos e atividades.
Sexta-feira passada completei 20 semanas, que rufem os tambores, cinco meses gravados, se é que estou contando certo rs. Enfim, nessa mesma sexta-feira fomos ao ultrassom morfológico do segundo trimestre, foi meio cedo, mas a médica disse que estava em tempo.
No exame descobrimos que nossa bebê está super bem, já está totalmente formadinha, é tímida pois fica o tempo inteiro cobrindo o rosto com as mãos, tem aproximadamente 21cm, não curte selfies, pois não deixou a médica pegar nenhuma foto de perfil, mas isso não vai ser problema, a mamãe vai convencer ela em breve.


Falando sério agora, Aria está bem e crescendo como esperado, só que descobri que já estou mais gordinha que o esperado, então a médica com sua doce voz e olhar fatal me fritou e pediu carinhosamente para “fechar a boquinha”.

MEU DEUS, falar é fácil, quero ver fazer, se regime em dias de não grávida já é uma tremenda tortura, imagina grávida.

Meu peso anterior à gravidez estava em 62kg, eu não estava super feliz, mas me mantinha firme e forte nos exercícios a fim de secar aquela localizada que todo mundo odeia.

A descoberta da gravidez meio que até me animou, pensei eu que a descoberta da futura barriga que já estava crescendo era o que me fazia mais volume na região abdominal, a ilusão de já estar com a barriga meio que se esticando me consolara.

Ops, mas vejamos, após completar a vigésima semana de gestação descubro eu que já peso 10 kg a mais que no começo da gestação.

Senhoras e senhores, eis que lhes apresento uma grávida de 72 kg e toda apavorada, ainda mais depois de ouvir a médica: fecha a boquinha.


Aff, não tem nada pior nessa vida que pessoas lhe dizendo o que fazer, nessa fase então, só por Deus mesmo, a gente faz uma carinha torta com sorriso falso de canto, meio que acatando tudo, mas a verdade mesmo é que a gente queria era estar mega bem e seguir na gravidez sem muitos palpites, obviamente que opiniões e dicas da médica são muito bem vidas, mas o resto a gente peneira e algumas vezes descarta a maior parte.

Minha nossa, acho que o parágrafo acima foi mais ou menos um desabafo né rs, ai gente, é uma explosão de emoções, chega a ser engraçado as vezes.

Enfim, eu aqui fora do peso gestacional ideal, nenhuma dieta pautada até o momento, apenas o lembrete de evite “doces, refrigerantes, massas e tudo que engorda”, ou seja, tudo que não é saudável. Uma pena que esses não saudáveis vilões são tão deliciosos né, temos, ops, tenho que evitar mesmo. Ahh já ia me esquecendo, eu não pude manter a frequência de treinos na academia depois que soube da gravidez, a médica sugeriu que eu retomasse levemente após a vigésima semana e cá estou eu, nada de treino, mas uma caminhada de leve não vai fazer mal, creio eu.

Bom, então é isso, mais um capítulo aqui disponível pra vocês saberem um pouco mais de mim, destaque para a questão do peso, quem tiver uma dica boa pra mamães de primeira viagem sinta-se à vontade em disponibilizar nos comentários.

BjooOOO

Bebês Estilosos – Pra Inspirar

As pessoas me veem grávida, descobrem que estou esperando uma menininha e fazem aquela cara feliz tipo: caraaaaaaaaaa vai ser estilosa rs.

Não sei não viu, manter um bebê estiloso demanda tempo e adereços rs, calma vai, ainda há tempo para colocar todo esse estilo em prática, por enquanto vamos apenas nos inspirar nas bebês que a gente acompanha via internet e que tem estilo.


Uma coisa que acho super chato e vestir as meninas de rosa em tempo integral, obviamente que no primeiro momento quando se sabe que o bebê é do sexo masculino o azul vem à cabeça, já quando se trata de bebês do sexo feminino é rosa para toda parte, estou tentando evitar ao máximo essa coisa de rosa dos pés à cabeça, quero minha bebê com todas as cores possíveis.

Sempre achei os meninos mais fáceis, em certa fase já começam a usar jeans, moletons, tênis e camisas, tem muita opção e parece não ter necessidade de se prender ao azul, mas quando estamos falando em meninas já vemos um laço na cabeça, tiaras e outra coisinhas, bolsas, sandálias, sapatilhas, saias, vestidos, shorts, regatas, camisetas, jaquetas e mais um monte de coisas na cor rosa.

É lindo, feminino, delicado, mas não dá, não quero ser a louca do rosa, essa fase já passei a tempos, acreditem se quiser, houve uma época da minha adolescência que eu me vestia de rosa, sempre (meu passado me condena).

Enfim, vamos nos inspirar hoje em duas baixinhas (memorias Xuxa) que vem causando euforia no universo infantil no que diz respeito a moda, North West, primogênita de Kim Kardashian é ícone fashion, idolatrada por onde passa, também né gente, uma figurinha dessa, não tem paparazzi que aguente na chegada ou saída do ballet que aguente. Também né gente com uma mãe com sobrenome Kardashian nem tinha como ter um estilo sem graça, North tem graça pra dar e vender e seus looks já estão nos meus conhos.





Titi Gagliasso, a filha adotiva de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso tem estilo pra dar e vender, sempre está com lencinho amarrado na cabeça como uma tiara, isso meio que virou marca registrada e não podemos negar que fica uma graça. Seus looks não dispensam nenhuma cor da cartela de cores mais sortida que puder imaginar, isso torna tudo mais divertido e acho que um look infantil é bem isso mesmo, diversão em forma de roupa, o que retrata bem a infância. Não como negar que Titi vai ser ou já é uma fashionista, então vamos nos inspirar um pouco nos looks que a fofinha já desfilou.





Já estou aqui imaginando minha pequenininha já toda emperiquitada rs, meu Deus, a menina nem nasceu e o guarda roupa vai estar bombando, rs, não gente calma, é só pra inspirar táh, exercitar um pouco esse papel de mãe que escolhe os looks da filha a dedo.

Me desejem sorte. BjooOOO

CNB 2017

Sábado passado foi dia de CNB – Conferência Nacional de Blogs realizada pelo CBBlogers.

Todo mundo já ouviu falar desse evento, pelo menos eu acho que ele tem ganhado mais espaço e informativos na internet.

Participei em 2016 e decidi marcar presença esse ano também, como prometido pelo CBB a organização estava bem melhor, as cadeiras marcadas salvaram a pátria, localização excelente, mas pecaram em não liberar uma rede Wifi para a galera, enfim, o evento aconteceu e eu estava lá, então vou resumir aqui um pouquinho do que rolou.





O CNB 2017 aconteceu no Maksoud Plaza local perfeito para todo mundo, pertinho do metrô e com estacionamento de valor razoável para quem fosse de carro.

Eu não tinha muita escolha, tinha que ir, apesar de estar meio pesada e preguiçosa pela gravidez já tinha comprado meu ingresso assim que fora anunciado às vendas, garanti uma cadeira bem perto do palco e fui com a cara e a coragem.

A recepção foi bem rápida, a fila que peguei quando cheguei (no interior do hotel) era pequena e fui atendida bem rapidinho, para pegar a credencial sabe, o crachá do evento, depois disso você estava livre para conferir os stands do evento.

Em um espaço amplo do hotel os stands foram posicionados em torno do espaço e os bloggers podiam visitar os stands e conhecer os lançamentos lá apresentados.

Esse negócio de stands é uma boa para os eventos, os bloggers garantem um produto ou outro para testar e gerar conteúdo para seus blog e canal e consequentemente usa sua influência digital a favor da tal marca que proporcionou o produto, ambos ganham, mas tem um ponto negativo nisso tudo, acho que algumas marcas que se dispõem a participar do evento não entendem essa troca como uma coisa logica e positiva para ambas as partes, então impõem que os bloggers postem na hora fotos com #hashtag especifica para garantir seu “brinde”. Coisa chata isso, se eu estou em um evento que paguei para estar e a tal marca está lá para se divulgar, gostaria de ao menos ser tratada pelo tal representante com o mínimo de simpatia e acima de tudo educação, enfim eu sempre tenho uma intriga ou outra relacionada aos representantes desse evento, ano passado foi a mesma coisa com a That Girl, fiquei com nome da marca na cabeça pra nunca mais chegar nem perto de uma loja ou produto, aff peguei raiva.


Mas picuinhas a parte, eu gostei bastante do evento, logo que cheguei conheci a Patrícia do “Vem de Look” e por incrível que pareça ela também está gestante e nos identificamos logo aí, então demos as mãos e curtimos o evento juntas, pois não tem coisa pior que ficar sozinha em lugar cheio, outra que mulher gosta de andar em bando né rs, mas a dupla serviu muito bem.

Infelizmente a minha companheira de CNB tinha assento bem distante do meu, nesse caso fiz amizade com um trio muito bacana que estavam lá na frente na terceira fileira me fazendo companhia, foi demais


KamilaKamilaRios Blog / JúliaDireto de Lá / JéssikaJeito Jéssica

Umas fofas, quando me localizei no salão dei de cara com Júlia, já dei aquele oi básico, depois a Kamila e a Jéssika já chegaram com muito carisma e sentaram ao nosso lado. É interessante como quando as palestras começaram a gente começa a trocar ideias, oferecer docinhos rs e por aí vai, surgiu um novo grupo de meninas no CNB 2017, foi como a Ana Jacobs uma das idealizadoras do evento acabou dizendo no palco, que apesar de cadeiras marcadas e talvez amigas ou conhecidas tivessem ficado separadas durante as palestras, isso seria a oportunidade de conhecer gente nova, fazer aquele network básico.

Também encontrei a Bru, olha a intimidade, é a Bruna Munhoz gente, do Vaidosa e Feminina que todo mundo já conhece, se não conhece corre no blog/canal dela que vocês não vão se arrepender, gente fina, bonita, simpática e muito, mas muito boa maquiadora.


PROGRAMAÇÃO CNB 2017
A programação estava recheada de coisa boa, os atrasos foram razoáveis, muita dica boa a ser anotada, ahhh o Pinterest que tinha um palestrante na programação nos presenteou com um mini caderno e alguns adesivos, a coisa mais fofa.


Das palestras as que mais me chamaram atenção foram: Ana Tex e todo seu jogo de cintura pra falar de marketing sugerindo a moda mesmo sem muita experiência no assunto, as ilustrações do meio que me chamaram bastante atenção e ressaltou uma coisa que talvez muitos bloggers não tem considerado que é o fator “como lidar” com frustrações e até mesmo a fama, bastante interessante; Bruna Toni e o Pinterest, catalogo de ideias que todo mundo ama, foi ótima, dinâmica e informal, o tempo passou que eu nem vi, são tantas ferramentas a serem usadas com Pin que a gente nem imaginava; As métricas foram apresentadas a mim pelo professor Tiago A. Vasconcelos e eu muito me atentei; Por último o muso do evento John Drops com todo seu gingado baiano e humor pra dar e vender, gente nunca dei tanta risada numa palesta/entrevista, eu não conhecia o John pessoalmente, mas sigo no instagram faz um tempo e sinceramente foi a melhor pessoa que conheci no evento, sem querer ser a chata rs, não o conheci literalmente, mas assistir a entrevista me deu a sensação de estar do lado de um cara gente como a gente, sem contar a inspiração de força, fé e personalidade única, aquele impulso que dá vontade de criar sabe, foi o que ele fez e deu muito certo, foi original, é original, melhor pessoa do evento, amei, até garanti um clique.



Os patrocinadores foram muitos, deu pra conhecer produtos novos, testar alguns ali na hora e conversar com os representantes sobre suas formulações e benefícios, eram papos cabeça sabe rs... obviamente ao final todos saiam com sua amostra ou até mesmo com o produto em tamanho real, imagina quem não gosta de ganhar presentes como não saiu dali, cheia de sacola até a tampa.


Quanto a mim, quero dizer meu look, ahhh nem vou dar detalhes, fui bem simples, prezando o conforto, estava com medo de não aguentar o dia todo, mas graças a Deus foi bem tranquilo, levei na bolsa lanchinhos para não ficar muito tempo sem comer, almocei no shopping lá perto, acabei não participando do lanchinho de intervalo, preferi me alimentar corretamente, sorte da boa localização e da companhia, Patrícia também estava grávida e decidiu me acompanhar no almoço, ahh mas sem fugir do papo, o look consistia em calça jogger, tshirt, bomber jaquet e tênis, mas foto do look não ficou boa então fica pra outra hora rs.


Concluindo galera, a CNB 2017 foi bem bacana, deu pra curtir o espaço, as palestras e a galera, teve seus altos e baixos (Wifi 0), mas deu pra se divertir.

E você? Foi na CNB? Queria ter ido? Pretende ir ano que vem? Comenta aí.


BjooOOOO
 

criado e codificado para o blog Kaly Magricela
cópia proibida © 2015